trantorno alimentar

O que é um Transtorno Alimentar?

Rosa Guimarães- Psicóloga

Quando pensamos em desenvolvimento humano sempre levamos em consideração questões mentais e físicas, bem como a alimentação e os hábitos, não é mesmo?  A alimentação é uma necessidade básica a sobrevivência humana. Ela também está na maioria das vezes presente nos ambientes de socialização, quase todos os eventos sociais que participamos envolvem comida. Você já parou para observar?   Se não, é uma boa ideia começar. Esse comportamento ocorre de casamentos, saídas com os amigos até receber visitas em casa, muitas vezes não é a atividade principal, mas o alimento está lá, presente nas situações (ARGIMON; CERUTTI; ESTEVES, 2016).

O costume alimentar é um ato cognitivo, para que conheçamos os alimentos é necessário que o mesmo seja reconhecido pelo paladar devido ao seu gosto. Em grande parte das culturas a alimentação muitas vezes está relacionada à saúde.  O tipo de dieta,  nesse sentido se refere a rotina alimentar e não a modificação de hábitos para a redução de peso, influencia nossa atitude frente a comida, levando em consideração idade, genética e estrutura física.  Por vezes, as pessoas aparentam ter um estilo de vida saudável, mas se pararmos pra observar a conexão corpo em relação à alimentação ela pode ser funcional ou disfuncional. Sendo assim, ter um peso ideal não sinônimo de saúde (ARGIMON; CERUTTI; ESTEVES, 2016).

A questão alimentar esta muito relacionada ao comportamento de autocontrole. “Na medida em que vai acontecendo este aprendizado, desde o processo de mamar no seio até a incorporação de regras alimentares na infância, o individuo vai desenvolvendo uma disciplinamento alimentar” (CARNEIRO, 2005). Os Transtornos Alimentares podem se desenvolver a partir do modo como cada individuo se relaciona com o seu corpo e a comida, sempre levando em consideração o aprendizado alimentar que esse individuo obteve, questões ambientais e socio-emocionais.

Segundo o Manual Diagnostico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5) “os transtornos alimentares são caracterizados por uma perturbação persistente na alimentação ou no comportamento relacionado à alimentação que resulta no consumo ou na absorção alterada de alimentos e que compromete significativamente a saúde física ou o funcionamento psicossocial.” Os indivíduos que desenvolvem Transtorno Alimentar por vezes tem crenças disfuncionais em relação ao peso, formas corporais, valoração pessoal e o ato de comer em si.

Dentre os Transtornos Alimentares temos:

– Anorexia Nervosa: onde ocorre restrição da ingesta calórica em relação às necessidades, levando a um peso corporal significativamente baixo no contexto de idade, gênero, trajetória do desenvolvimento e saúde física.

– Bulimia Nervosa: onde ocorrem episódios recorrentes de compulsão alimentar, acompanhados de comportamentos compensatórios inapropriados recorrentes, a fim de impedir o ganho de peso, como vômitos autoinduzidos; uso indevido de laxantes, diuréticos ou outros medicamentos; jejum; ou exercício em excesso;

– Transtorno de Compulsão Alimentar: onde ocorre episódios recorrentes de compulsão alimentar, sem comportamentos compensatórios. Apresentando sofrimento marcante em virtude da compulsão alimentar;

– Transtorno de Pica: onde ocorre há ingestão persistente de substâncias não alimentícias;

– Transtorno de Ruminação: onde ocorre uma persistente regurgitação de alimentos;

– Transtorno Alimentar Restritivo/evitativo: onde ocorre a recusa em alimentar-se, levando em consideração sensações alimentares, que levam a deficiência nutricional.

Somente ressaltando que Obesidade não é considerado Transtorno Alimentar. Segundo o DSM-5 “A obesidade resulta do excesso prolongado de ingestão energética em relação ao gasto energético. Uma gama de fatores genéticos, fisiológicos, comportamentais e ambientais que variam entre os indivíduos contribui para o desenvolvimento da obesidade; dessa forma, ela não é considerada um transtorno mental”.

Os indivíduos com Transtorno Alimentar apresentam sofrimento diante das consequências de suas ações. O tratamento baseado na Terapia Cognitivo- Comportamental juntamente a profissionais da Nutrição, Médicos e Educadores Físicos tem se mostrado eficazes nos casos de Transtorno Alimentar.

Referências:

Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais [recurso eletrônico] : DSM-5 / [American Psychiatric Association ; tradução: Maria Inês Corrêa Nascimento … et al.] ; revisão técnica: Aristides Volpato Cordioli … [et al.]. – 5. ed. – Dados eletrônicos. – Porto Alegre :  Artmed, 2014.

A prática da terapia cognitivo-comportmental nos transtornos alimentares e obesidade/ organizado por Igor da Rosa Finger e Margareth d Silva Oliveira – Novo Hamburgo: Sinopsys, 2016.

Comida e sociedade: significados sociais. Carneiro, HS. Curitiba: UFPR, 2005.